Categorias: Aromaterapia

Os óleos essências para o Luto

O luto é um conjunto de reações emocionais a uma perda significativa, geralmente pela morte de outro ser, mas ele também está relacionado a rompimentos de outras naturezas, ou a fim de ciclos, como: o fim de um relacionamento, a perda de fatores importantes da vida como um emprego, um concurso; ou até mesmo uma mudança negativa no que diz respeito à saúde ou funcionamento físico do ser. Segundo John Bowlby, quanto maior o apego ao objeto perdido (que pode ser uma pessoa, animal, fase da vida, status social), maior o sofrimento. Assim, o luto pode ser concebido, na verdade, como um mecanismo inerente à psique humana.

Os sentimentos que emergem com o luto são aqueles mais complicados de lidar, como: perda, vazio, dor, carência, saudade, entre outros. Por isso mesmo, a maioria dos indivíduos querem superar esse momento o mais rápido possível, para abreviar todos esses sentimentos. Mas se não vivermos o luto até o fim, vamos impedir que esse processo se encerre. E ele é um momento fundamental porque implica na reconstrução do Ser.

Quando se trata de viver o luto, não existe um padrão a ser seguido. Algumas pessoas se recolhem, outras têm vontade de falar, outras de chorar, de estar sempre na companhia de alguém e ainda há pessoas que “agem” como se nada tivesse acontecido.  Logo, precisa-se respeitar o processo de cada um.

Em 1969 a psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross elencou, em seu livro “Sobre a morte e o morrer”, as 5 fases do luto, sendo elas: Negação, Raiva, Barganha, Depressão e Aceitação.  Vale lembrar que nem todas as pessoas vivenciam as 5 fases, algumas podem experimentar somente 2 fases, por exemplo. De qualquer forma, essas 5 fases do luto costumam estar presente na maioria dos indivíduos em luto e por isso são tão discutidas e difundidas. Abaixo falaremos de cada fase e dos óleos essenciais que podem nos ajudar passar e superar essas fases com mais suavidade. Lembrando que podemos usar os óleos em um aromatizador de ambiente ou em um pessoal, ou até mesmo diluídos em um óleo carreador, sendo neste caso usados de 7 a 14 dias.

Fase 1 – NEGAÇÃO: Consiste em uma fase de negação do acontecimento; a pessoa não acredita, acha que pode haver um engano. Pode ser vista como forma de defesa de algo improvável e pode durar pode durar algumas semanas e aos poucos a pessoa vai entendendo a nova realidade e passa a ter outros sentimentos em relação ao luto.

Essa é uma fase importante para nos proteger de vivenciarmos de uma só vez sentimentos que poderiam ser avassaladores para nossa psique. O mais difícil nesse momento é conseguir entender e até vislumbrar uma vida sem o que foi perdido.

Nesta fase podemos fazer uso dos óleos de Bergamota (Citrus bergamia) e/ ou Limão Siciliano (Citrus limon). Esses óleos são capazes de limpar o corpo mental da confusão e intensificam a capacidade de compreensão dos pensamentos. Eles também possuem uma energia muito edificante, permitindo um estado de claridade mental e acalma as emoções.

Fase 2 – RAIVA: Esta fase é a mais delicada, a pessoa está incongruente e pode ter atitudes desagradáveis. A raiva surge justamente porque o indivíduo passa a compreender a irreversibilidade da situação e é difícil de lidar com esse sentimento de impotência diante do ocorrido.

Nesta fase podemos fazer uso dos óleos de Pinheiro Silvestre (Pinus sylvestris) e/ou o Cipreste (Cupressus sempervirens), óleos usados para limpeza de sentimentos pesados e proporcionam uma renovação da alma.

Fase 3 – NEGOCIAÇÃO/BARGANHA: A revolta da fase anterior não trouxe alívio, aí vem os pensamentos sobre fazer algo para reverter o acontecido. Por isso, é comum que quem está vivenciando o luto passe a pensar em situações ou atitudes que poderia ter tomado e que, na sua mente, seriam capazes de reverter o fato ocorrido.

Na maioria das vezes, quem recorre a essa fase são pessoas voltadas à religiosidade e que buscam barganhar com Deus para que o ocorrido seja revertido, prometendo ajudar, ter uma vida mais saudável, ser mais simpático com os outros, pensar positivo, etc.

Nesta fase podemos fazer uso dos óleos de Sálvia-esclareia (Salvia sclarea) e/ou Manjericão (Ocimum basilicum), os quais são capazes de revigorar e ampliar a visão e o pensamento do indivíduo.

Fase 4 – DEPRESSÃO: O insucesso na fase anterior gera esta fase de grande sofrimento, a maior colaboração de quem está ao lado é ser um ouvinte paciencioso e apenas estar ao lado. É normal, nesse momento, o enlutado sentir-se cansado e até desconectado com os demais. Parece que a vida passa a correr de forma aleatória, sem que ele esteja vivendo de fato essa realidade.

Normalmente, a fase da depressão não acontece logo após a perda, mas um tempo depois. Podemos dizer que é quando a “ficha cai” do que aconteceu. Essa fase é também a mais perigosa das 5 fases do luto, já que muitos podem não conseguir sair dela sem ajuda psicológica, prolongando esse período e vivenciando uma depressão patológica.

Nesta fase podemos fazer uso dos óleos de Gerânio (Pelargonium graveolens) e/ou  Rosa-de-damasco (Rosa x damascena Mill) usados para a cura da dor da perda e cura em todos os níveis, além de excelentes óleos para casos de depressão.

Fase 5 – ACEITAÇÃO: Com o sofrimento um pouco mais suavizado, a pessoa faz reflexões e tem percepções mais congruentes com a situação, consegue ter “tranquilas expectativas”, facilitando a aceitação do ocorrido e possibilidades de reação. Isso não significa que a dor da perda será esquecida, apenas que ela ficará mais amena e que o indivíduo começará a aceitar a nova realidade e a fazer pequenos planos para lidar com ela.

Nesta fase recomenda-se óleos como Cedro (Cedrus atlatica) e Olíbano (Boswellia carteri), que são óleos que centram e ajudam a dissipar as dores mentais do sofrimento e são capazes de elevar o ânimo por causa de sua ação antidepressiva e energizante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *