Categorias: Aromaterapia

Óleos essenciais que ajudam no processo de “libertação” do sentimento de culpa

Pegando o gancho no último texto “Quero ser feliz, mas essa culpa…”, iremos no texto de hoje mostrar alguns óleos essenciais que ajudam no processo de “libertação” do sentimento de culpa.

O sentimento de Culpa é um dos mais fortes dentro do ser humano, se esconde atrás de nossas tristezas e frustrações, de nossas insatisfações na vida, de nossos tédio e angústias. Junto com esse sentimento vem o medo da desgraça, a auto reprovação e a vergonha; que em geral provocam remordimento, remorso e contrição. A culpa (e os sentimentos que a acompanham) é sempre uma emoção infeliz, complicada e difícil. Sendo assim, listamos alguns óleos que ajudam a mudar o tipo de pensamento e vibração dos indivíduos que de alguma forma se sentem culpados!

Alecrim (Rosmarinus offcinalis): Por ser um desintoxicante, pode ser usado depois de ações e palavras premeditadas ou impensadas. Ser houver dor mental, a propriedade analgésica do óleo poderá aliviá-la; se a mente estiver bloqueada por confusões de emoções, sua ação descongestionante, juntamente com o seu efeito eficaz sobre as indigestões, será de grande valia. Se alguma culpa prolongada causar depressão, a ação cardiotônica do alecrim será capaz de fortalecer o coração e o seu efeito neurotônico, reanimam e reavivam o indivíduo, de maneira que este tenha a clareza e a energia. O óleo de alecrim é indicado para iniciar as operações de cura, especialmente quando a contrição e a vergonha estão envolvidas com o sentimento de culpa, ou quando o sofrimento está ligado a essas.

Lavanda (Lavandula angustifólia): Esse óleo é bastante conhecido por suas propriedades curativas, logo ele é uma ótima escolha como auxílio nas circunstâncias trazidas pela culpa (remorso, contrição…), sobretudo por causa de sua capacidade para curar simultaneamente a angústia e a autocondenação. Pelo fato desse óleo ser usado fisicamente para as cicatrizes, ele também ajuda a curar a culpa profunda, como, por exemplo, nas situações em que esse sentimento está ligado com o sofrimento. Como analgésico, a sua eficácia já está provada na cura das dores mentais que fazem parte da culpa; a lavanda também é útil quando a atmosfera emocional do indivíduo o deprime, pois sua ação como tônico geral e cardiotônico impulsiona a uma solução.

Olíbano (Boswellia carteri): O poder curativo desse óleo para suavizar e renovar o tecido da pele é incalculável, o que prova o seu valor como auxílio à cura de todas as emoções da “família” da culpa. Por ser analgésico, o olíbano serve de ajuda para dissipar as dores mentais do sofrimento, e se a essas se acrescentarem o desânimo e a melancolia, será capaz de elevar o ânimo por causa de sua ação antidepressiva e energizante. Sua propriedade imunoestimulante é de grande utilidade quando o estado de saúde está em baixa, ou quando um longo período de culpa já afeta a integridade física, provocando infecções menores, porém regulares.

Outros óleos também podem auxiliar nos sentimentos de culpa, como:

Gerânio (Pelargonium graveolens), Manjericão (Ocimum basilicum), Sâmdalo (Santalum album) entre outros.

Além dos óleos, podemos também mudar nossa postura perante a esse sentimento; aprendendo a lidar com os erros e aceitando que somos imperfeitos, sentindo-se merecedor (quantas vezes duvidamos de um elogio que recebemos, não nos sentimos merecedores de um presente ou de um afeto) e trocando a culpa por responsabilidade, a responsabilidade é uma escolha que traz emoções positivas e nos deixa ativo e motivado, já a culpa  é uma emoção negativa que paralisa.

PRICE, S., Aromaterapia e as emoções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *