Categorias: PNLPNL Crenças

Concretizando o Meu Querer

Se há tantos livros e manuais de autoajuda, porque ainda tem tanta gente que continuou sem conseguir realizar o seu querer? Basicamente a resposta é: Preciso QUERER fazer o processo, MUDAR pontos que não me levavam na direção desejada, saber COMO mudar e ME DAR A CHANCE de mudar. Para isso duas crenças são fundamentais:

• Que meu objetivo é possível de ser alcançado
• E que eu tenho o que é preciso para atingir meu objetivo (ou que tenho uma parte e posso obter o restante durante o processo).

Porque por mais forte que seja o meu desejo, se eu não tenho nenhuma expectativa de atingir o que quero, caio na desesperança. E quando não acredito que tenho os recursos necessários, ou seja, se não acredito na minha autoeficácia, vem a sensação de desamparo. E, se, ao mesmo tempo, sinto desesperança e desamparo, fico apática. Nesse estágio, o querer e a frustração formam um cabo de guerra e geram frases e atitudes incongruentes.

Desde que não haja crenças como: “Sou assim mesmo e não posso mudar”, “Se conseguir isso, perco aquilo” ou “Não mereço isso” – porque nesse caso a crença negativa precisa ser trabalhada primeiro – podemos desfazer esse nó interno com algumas dicas:

• Torne a sua meta mais compreensível para a sua mente – usando verbos no presente, frases afirmativas, contendo o que você quer em vez do que você não quer: troque uma frase como – “Queria emagrecer 10 quilos” para “Quero pesar X quilos.” – isso deixa mais fácil a percepção dos recursos que tem
• Use palavras que evoquem motivação, conquista, ganho. Então, em vez de quero perder essa preguiça, prefira quero usar meu querer para fazer “X” (algo bom) por mim.
• Se o que eu quero está muito distante de ser atingido, crio uma espécie de escada, onde cada degrau é um pedaço, uma conquista menor, que me leva mais para perto da conquista maior. Exemplo: Tenho 120 kgs. Preciso perder 50 quilos para atingir meu peso ideal – posso achar que é muito peso para perder, logo não é algo tão possível assim (vem a desesperança) e que ou não vou sair mais de casa, para não cair em tentação ou não vai acontecer – aí duvido da minha capacidade de fazer o que preciso para conquistar meu desejo, caio no desamparo. E com essa dupla atuando, me atraco com a primeira barra de chocolate para afogar as mágoas, por estar longe de conseguir o que queria tanto, e devoro tudo em dois tempos… Mas, se penso em como posso criar novos hábitos de vida e de alimentação, que me possibilitem pesar 110kgs, a sensação de possibilidade aumenta, o que me traz mais motivação, para eu trabalhar a minha crença de que sou capaz de chegar nesse primeiro degrau-objetivo. Chegando, a alegria, a confiança em mim ficam fortalecidas. Daí, crio o próximo objetivo-degrau: O que posso acrescentar de novos hábitos para atingir os 100 quilos? E como vou me sentir comigo, em minhas atividades quando estiver nesse peso? O que farei mais ou com mais facilidade quando atingir esse peso? – E de degrau em degrau vou me fortalecendo e me tornando mais parceira de mim.

Dessa forma a mente vai estar trabalhando muito mais alinhada com o querer, sem entrar em desvios que a levam para o caminho de volta ao ponto de partida.

OBS.: Você pode se interessar também pelo artigo “Querer e Crer”,  que também trata desse tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *